[Resenha] Eclipse ao pôr do sol

segunda-feira, 4 outubro, 2010

Mais um ótimo lançamento da Draco

Em meio ao mar de obras rasas, mal escritas, sem revisão e de critérios editoriais duvidosos que inunda a praia do fandom brasileiro de literatura fantástica, é difícil encontrar uma digna de nota, que esteja realmente acima da média. Difícil, mas não impossível, como prova este Eclipse ao pôr do sol e outros contos fantásticos, do jornalista e editor da CartaCapital Antonio Luiz M. C. Costa, lançado em meados de agosto pela editora Draco.

O que se vê aqui são seis contos escritos com esmero; a linguagem utilizada é um tanto requintada, muitas vezes exigindo uma consulta ao dicionário, já que procura se encaixar ao contexto da época em que cada história se passa, seja o Brasil do final do século XIX, seja a Grécia Antiga. Apesar do rigor formal, os contos se mostram mais do que cativantes. Exemplos claros disso são o primeiro conto, A Nascente da Serra, e sua continuação, O Cio da Terra. Ambos se passam em Portugal – o primeiro, na época das navegações, e o segundo, no século XXI – e apresentam a carismática ninfa Pirene, cuja formosura radiante faz com que os homens que a vejam se apaixonem perdidamente.

É nítida a rica pesquisa feita para a composição dos enredos, o que os torna bastante verossímeis. Há também certa quantidade de referências, que vão de Machado de Assis a Luís de Camões, passando por Florbela Espanca e Homero. Outro ponto de destaque é o tom irônico, quiçá ácido de alguns dos textos, vide o que dá título à coletânea, onde é narrado o roubo da Efígie de Zeus e as consequências de tal ato. Talvez seja o conto com a linguagem mais empolada, mas isso não quebra o ritmo da leitura, que se torna extremamente envolvente após o início.

O conto mais fraco é Louco por um Feitiço, que não chega a cativar, apesar de bem escrito. Talvez tenha faltado espaço para desenvolver melhor os personagens, que soam insípidos. Para compensar, temos o curto, mas eficiente Papai Noel Volta para Casa, que tem um desfecho interessante, e O Anhanga, que, a meu ver, é o grande destaque do livro. Trata de um advogado que, ao fincar laços mais profundos com uma prostituta, vê-a ser perseguida por uma entidade misteriosa. Emulando a linguagem da época – que, aliás, lembra muito Machado de Assis -, é um conto tenso, que prende a atenção até o final.

Há alguns pequenos deslizes na revisão, mas nada que comprometa a qualidade geral da obra, que está anos-luz à frente da maioria das publicações do gênero no Brasil.

Ao término da leitura, tem-se a sensação de que o dinheiro gasto valeu a pena: Eclipse ao pôr do sol é uma ótima coletânea, coesa e muito bem escrita. Fica a dica para os fãs de literatura fantástica – não aquela repleta de lugares-comuns, mas sim uma que transcende, que procura apresentar uma perspectiva nova e mais ousada.


2010, aqui vamos nós!

domingo, 10 janeiro, 2010

Buenas, povo, cá estou novamente, depois de (mais) um longo período sem postagens. Pra começar bem o ano, fiz algumas resoluções internas e pretendo levá-las a sério – MESMO. As coisas chegam a um ponto em que, ou muda-se o que está errado, ou persiste-se no erro até não poder mais voltar atrás. E eu pretendo mudar, e pra melhor.

Depois de uma viagem excelente a Paris e Dublin, minha cabeça parece estar voltando ao lugar agora. Nas férias, vou ter mais tempo para ler, escrever, descansar, para depois, ao voltar às aulas, poder estudar mais e seguir com meus projetos para o ano, sem abandonar minhas atividades lúdicas. Vou procurar ser menos desleixado com o blog e atualizá-lo pelo menos uma vez a cada duas semanas; já que não tem saído contos novos, posso comentar sobre as leituras que ando fazendo, ou algo do tipo.

Então, começo o ano fazendo a lista das minhas leituras em 2009.

Janeiro

01.  John Grisham – O recurso

02.  Stephenie Meyer – Crepúsculo

03.  Giulia Moon – A dama-morcega

04.  Sir Arthur Conan Doyle – O cão dos Baskerville (releitura)

Fevereiro

05.  L. Frank Baum – O mágico de Oz

06.  Stephen King – Os olhos do dragão

07.  Moacyr Scliar – Os deuses de Raquel

08.  Joe Hill – A estrada da noite

09.  Martha Argel – O livro dos contos enfeitiçados

Março

10.  Agatha Christie – O detetive Parker Pyne

Abril

11.  Jeffery Deaver – O colecionador de ossos

12.  Sidney Sheldon – Extraño testamento

Maio

13.  Antoine de Saint-Exúpery – O pequeno príncipe

14.  Rubem Fonseca – Feliz ano novo

Junho

15.  Cláudio Moreno – O guia prático do português correto, vol. 1

16.  Dalton Trevisan – Continhos galantes

Agosto

17.  Sam Bourne – O código dos justos

HQ: Alan Moore & Brian Bolland – A piada mortal

Setembro

18.  Frederick Forsyth – O veterano

19.  Tibor Moricz – Fome

20.  Renato A. Azevedo – De Roswell a Varginha

21.  Altair Martins – Como se moesse ferro

Outubro

22.  Jorge Tavares – O livro de Laios

23.  Fernando Pessoa – Mensagem

24.  Giulia Moon – Kaori, perfume de vampira

Novembro

25.  Coletânea – Paradigmas, vol. 1

Dezembro

26.  José Saramago – Caim

27.  Fábio Fernandes – Os dias da peste

28.  Rick Riordan – O ladrão de raios

29.  Antônio Xerxenesky – Areia nos dentes

30.  Rubem Fonseca – O seminarista

Uma média boa, na minha opinião. Claro que gostaria de ter lido mais – mas pretendo fazê-lo em 2010. Quando eu resolver meus problemas com distração, acho que conseguirei melhorar meu ritmo de leitura. 2009 foi um ano de boas leituras, no geral, com poucas decepções, se comparado a 2008. Li bastantes livros brasileiros – mais da metade da lista! – e conheci ótimos autores.

Pretendo fazer comentários sobre minhas futuras leituras por aqui, inspirado no que a minha colega blogueira Izze faz. Claro, não serão resenhas perfeitinhas como as dela, mas vou tentar fazer algo decente.

Até mais!